Hub /

Explicando a vergonha alheia do Cringe

Entenda como uma expressão na comunicação da sua marca pode derrubar o interesse de um público e arruinar os seus negócios online.

Explicando a vergonha alheia do Cringe

Entenda como uma expressão na comunicação da sua marca pode derrubar o interesse de um público e arruinar os seus negócios online.

Sopiler sobre esse artigo:

Se você precisou pesquisar sobre o que é Cringe e chegou nesse, ou em algum outro artigo, você é Cringe! 😂

Afinal, o que é cringe?

Se você esbarrou com esse termo na Internet nos últimos dias e não entendeu nada, relaxe, o assunto não faz parte da sua geração. Sim, o termo tem relação com um embate entre duas gerações mais jovens que se enfrentaram para decidir o que é ou não ser cringe e isso viralizou enormemente.

Mas vamos lá explicar:

Cringe é uma expressão em inglês que pode significar “vergonha” ou “embaraço”. É aquele sentimento que você tem com a clássica piada “é pavê ou pacumê” entende?

Quando alguém usa essa piada, a gente rotula essa pessoa como “tiozão do pavê” certo?!

É sobre isso que se trata!

E como tudo isso começou?

Como eu disse, a expressão já existia, mas foi após o tweet da jornalista Carol Rocha, conhecida como @tchulim é que o tema tomou a proporção que vimos nos últimos dias.

Foi o que bastou para que ambas as gerações debatessem sobre o que era ou não ser cringe, numa forma de dizer “nós não somos o tiozão do pavê, eles é que são” acalorou o debate.

Qual é a diferença entre as duas gerações?

Os Millennials nasceram entre 1980 e 1995 e atualmente estão entre 25 e 40 anos. Ou seja, é a última geração a conhecer o mundo sem Internet, mas também foram os primeiros a experimentarem os benefícios promovidos pela tecnologia.

Já a Geração Z, nasceu entre 1995 e 2010 e atualmente estão entre 10 e 25 anos. O mundo para essa geração não vê distinção entre offline e online. Tudo para eles é uma coisa só.

E como isso influencia os meus negócios?

Absolutamente TUDO!

Se a sua marca não entende como é a visão de mundo desses dois públicos, pode esbarrar numa comunicação que não conversa com nenhum desses indivíduos.

Estar alinhado com o comportamento de cada uma dessas duas gerações (e as outras também!) fazem toda a diferença em como a sua marca deve montar um planejamento estratégico de comunicação.

Então não haja como o “tiozão do pavê”.

Planeje e não seja cringe!

Curtiu? Então compartilhe!

Outros artigos sobre esse tema