Hub /

De nada adianta a sua marca só parecer ser engajada

A verdadeira diversidade começa nas estrutura das marcas, não só no digital. O consumidor percebe a diferença e isso pode ser fatal!

Hub /

De nada adianta a sua marca só parecer ser engajada

A verdadeira diversidade começa nas estrutura das marcas, não só no digital. O consumidor percebe a diferença e isso pode ser fatal!

No próximo dia 28 de junho é comemorado o Dia do Orgulho LGBTQIA+, e logo veremos várias marcas trocando seus avatares com as cores do arco-íris mostrando solidariedade ao movimento.

A marca que se posiciona dessa forma tenta mostrar o púbico que é engajada na sua causa, e à partir dessa sinalização, ela espera chamar a atenção do seu público que poderá ver que ela tem afinidades com a sua visão de mundo, certo?

Não, nem sempre!

O vídeo acima da TikToker @jujudosteclados faz uma sátira com essa situação. 

Claro que ele é uma peça de humor, mas ainda sim nos dá uma indicação de como as pessoas poderiam reagir caso percebam que não há compromisso com a causa, e sim, só quer parecer engajada.

Diversidade é o princípio do verdadeiro engajamento

Essa frase do palestrante Britânico Simon Sinek é emblemática ao chamar a atenção dos empresários e empreendedores que o foco dos negócios são as pessoas. 

TODAS AS PESSOAS!!!

Se a sua marca entende essa reflexão, pode então ter uma comunicação mais engajada. 

Mas antes mesmo de iniciar uma comunicação com mais diversidade, é preciso ser uma marca com diversidade!

É preciso reconhecer que as mazelas da nossa sociedade se refletem dentro das estruturas das marcas. 

Raríssima são as empresas que possuem cargos de lideranças pessoas LGBTQIA+, mulheres, negros ou PCD’s.

Mais do que participar de ações que fazem parte desses segmentos, é preciso dar voz de dentro para fora. 

Caso contrário as ações só ficarão apenas na superfície.

Marketing vazio não é eficiente

Hoje em dia é muito fácil identificar quais marcas possuem diversidade em sua estrutura. Ferramentas com Linkedin, entre outras, “entregam” facilmente essa informação. 

Ações que não refletem a própria estrutura da marca, além de não gerarem adesão de novos ‘leads‘, ainda pode provocar uma crise. 

Afinal, um consumidor engajado e minimamente consciente, pode verificar facilmente se essa ou aquela marca que está fazendo uma ação do Orgulho LGBTQIA+ “de verdade” ou se é só marketing vazio!

Mais que uma visão de mundo ideológica

Segundo o relatório Tendências de Gestão de Pessoas 2022, realizado pela consultoria Great Place to Work, o número de empresas preocupadas com ações internas de diversidade e inclusão diminuíram 17,9% esse ano. 

E efetivamente isso atinge os colaboradores e óbvio que isso reflete nos negócios!

Expressões como Black, Pink e Green Money, entre outras, não são meramente ideológicas. Há sim um mercado para cada uma delas que geram e movimentam negócios no mundo todo.

E ignorar isso é literalmente jogar dinheiro fora!

Curtiu? Então compartilhe!

Outros artigos sobre esse tema