E se o projeto atrasar? Como fica o valor da minha hora-técnica?

O grande gargalo em produção é a quantidade de vezes que um escopo é modificado e que geram novas refações de trabalho. Isso acontece com muita frequência na maioria esmagadora de projetos e a Kamus foi modelada para evitar justamente esse ‘core‘ de atuação do mercado.

É muito comum, mesmo de posse de um ‘briefing‘, o escopo ir alterando por falta de um direcionamento e acabamos “entubando” essas mudanças e quando percebemos, o projeto dobra de tamanho e tempo.

Esse cenário não é só ruim para os profissionais que atuam no projeto, mas para o cliente também! É só reconhecer que quanto mais o tempo passa, e mais novas funções são adicionadas ao escopo, mais a expectativa aumenta sobre o projeto, e em geral, o resultado entregue é aquém do esperado, e todos saem frustrados.

Na Kamus toda a produção é baseada na metodologia Kanban na plataforma Trello. Toda vez que somos contratados, nós criamos um ‘board‘ do produto, e com 5 minutos e pouquíssimos cliques, nós criamos a base de tarefas onde o projeto será acompanhado pelo cliente e coworkers.

Ou seja, os ‘cards‘ de TODAS as tarefas já estarão definidas.

Claro que existirão ajustes! Sim, mas a chance é minimizada uma vez que fica mais claro perceber se aquele pedido de mudança fere ou não o ‘briefing‘. O papel da Kamus é garantir que esses pedidos não alterem a quantidade de horas trabalhadas pelos coworkers do projeto.

Mas se ainda sim, a mudança for aceita, e ela impactar na geração de mais horas de produção, o coworker envolvido será bonificado em sua remuneração.

Artigo publicado por Cristiano Santos
Designer web e founder da Kamus
Hub de profissionais

Leia mais artigos desse autor