Português e alface: detalhes não tão pequenos

Imagine que você teve uma reunião com clientes hoje. Você escolheu bem o que ia vestir, chegou na hora certa, cumprimentou as pessoas, bateu aquele papo inicial, falou tudo o que queria sobre o seu trabalho e sabia do que estava falando. Tudo às mil maravilhas. Aí você foi ao banheiro e descobriu que esse tempo todo tinha um verdinho no seu dente. Não existe nada parecido com isso, né?

Existe. Português incorreto é o equivalente àquela alface presa no dente. Uma vírgula separando o sujeito do predicado, aquela crase que faltou ou sobrou, um deslize de ortografia que você talvez nem perceba, ou com o qual não se importa, pode ter os mais variados efeitos em seus clientes. Alguns não vão nem conseguir se concentrar no que você está falando, outros vão até continuar o relacionamento com você, mas manterão a impressão de desleixo ou mal-estar. Por que você faria tudo do jeito certo mas deixaria para trás um último detalhe?

E não é só a correção do texto que pode prejudicar uma boa comunicação. O uso excessivo de palavras da moda também pode atrapalhar a clareza – as tais das ‘buzzwords‘ deixam o texto parecendo um bingo corporativo. O tom inadequado do texto, muito formal ou muito informal, faz parecer que você foi à reunião com os clientes de ‘black-tie‘ e lantejoulas ou de chinelão, respectivamente. Uma construção confusa ou repetitiva prejudica a concisão e faz com que as pessoas leitoras desistam de ler ou se distraiam da estrela principal, que deveria ser seu conteúdo.

Como resolver esses problemas? Chame alguém para redigir ou revisar sua comunicação! Uma boa redatora ou um bom revisor podem transformar seu texto em uma excelente ferramenta de vendas e aproximar você de seus clientes. A Kamus conta com pessoas exatamente com esse perfil, converse conosco! Quanto à outra história… sugiro que você dê aquela conferida no espelho antes de entrar nas reuniões e carregue sempre fio-dental!

Artigo publicado por Heloisa Andrade de Paula
Redatora, revisora e cricri das palavras na Kamus.

Leia mais artigos dessa autora